segunda-feira, 7 de maio de 2007

TORNEI-ME UM ÉBRIO.

Antônio Vicente Filipe Celestino nasceu em 12 de setembro 1894 no Rio de Janeiro, no bairro de Santa Teresa.

Filho de italianos e fã de Enrico Caruso, começou cantando em bares, festas e serestas.

Tornou-se uma das vozes de maior popularidade da música brasileira a partir dos anos 20.

Foi membro integrante da Maçonaria.

Na década de 30 compõe dois de seus maiores sucessos: " O Ébrio" e "Coração Materno".

Cantor de voz lírica potente, soava lúgubre e histriônico ao interpretar valsas e operetas de conteúdo dramático que versavam sobre embriaguês, indigência extrema e matricídio.

A valsa "Flor do Mal" foi seu primeiro sucesso em disco datado de 1916, na Odeon (Casa Edison).

Gravou cerca de 137 discos em 78 rpm com 265 músicas, mais 10 compactos e 31 Lps.

Atuou em dois filmes : "O Ébrio" (1946) e "Coração Materno" (1951).

Foi casado com Gilda Abreu (1904 - 1979), cantora, escritora, atriz e cineasta.

Caetano Veloso regravou a canção "Coração Materno" em seu lp de estreia em 1968.

Ídolo de quatro gerações consecutivas, faleceu neste mesmo ano às vésperas de completar 74 anos ainda em evidência, no Hotel Normandie, em São Paulo, quando saía para participar de um show com Caetano Veloso e Gilberto Gil, que seria gravado para um programa a televisão.

Sua memória permanece com seu inconfundível registro de tenor. Seus fãs o elegeram como a Voz Orgulho do Brasil.

Clip do filme "O Ébrio".
http://www.youtube.com/watch?v=6AWiitgGqTc

2 comentários:

Henrique Kurtz disse...

Poxa, tem um pequeno museu sobre a vida e a obra de Vicente Celestino na cidade de Conservatória (RJ). Vale a pena visitar! Fica numa antiga casa, toca músicas dele o tempo todo, é abarrotado de informações e as roupas (inclusive o figurino que ele usou no blockbuster da época O Ébrio), objetos pessoais e outras coisas ficam totalmente expostas, é possível tocar em tudo, sei lá, e o museu tem uma aura muito kitsch (!)

Lucky disse...

É bom saber sobre esse museu. Conservatória é a cidade das serestas não é? Vou dar um pulo lá! He,he,he